Thiago Pitbull ainda carrega alguns truques na manga

"Eu tenho muito respeito pelo Kampmann, mas assim que fechar aquela jaula a parada vai ser comigo e eu vou quebrá-lo." - Thiago Alves
UFC welterweight Thiago Alves
Muito respeitado como um dos principais meio-médios, Thiago "Pitbull" Alves sempre se meteu em imprevistos. E nos 77 kg do UFC, se você tiver um, é como sangue na água para os tubarões, que ocupam a divisão.

Então, quase num piscar de olhos, uma sequência de vitórias em sete lutas, que incluiu tirunfos sobre Chris Lytle, Karo Parisyan, Matt Hughes, e Josh Koscheck, se transformou em um trecho onde o "Pitbull" perdeu três dos quatro combates, fazendo sua luta no UFC 138 com o invicto Papy Abedi em novembro passado uma vitória necessária.

E Pitbull arrancou a vitória, mas mais impressionante do que o feito em sua coleção, foi a maneira como ele ganhou, usando o seu srriking de primeira para criar uma finalização via mata-leão, a primeira vitória por finalização em uma carreira que começou em 2001.

"Eu estou sempre tentando melhorar, e esse é o objetivo na American Top Team", disse Alves. "Estamos todos tentando ficar melhor e melhor. Antes, muita gente me via como unidimensional, mas era mais fácil para mim manter a luta em pé, porque é onde me sinto confortável e onde sou melhor. Eu nunca quis levar a luta para o chão. Mas eu estou muito confortável onde quer que a luta aconteça, e você definitivamente vai ver um "Pitbull" muito, muito perigoso desta vez, ainda mais do que nas últimas vezes." 

Admitindo que ele precisa estar "aberto a fazer coisas novas," Pitbull, ainda com apenas 28 anos, parecia um homem novo na luta contra Abedi, e ele soa como um líder em seu evento principal na luta de hoje à noite contra Martin Kampmann. Que diferença uma grande vitória faz, e tendo essa vitória lhe impulsiona para um evento principal que pode fazer ainda mais maravilhas para o seu psicológico.

"Se você disse que não gosta, você provavelmente está mentindo", riu Thiago quando questionado sobre estar na luta principal do UFC de hoje.  "É sempre bom ser reconhecido pelo seu trabalho, e é uma grande oportunidade para nós dois ser destaque deste show. Estou muito animado, eu me preparei muito bem para essa luta, e vou proporcionar um grande desempenho para os fãs e para o UFC."

Pitbull aparentemente colocou seus problemas com peso para trás também, quando bateu 77,3 kg para sua luta, 226 gramas abaixo do limite estipulado. Realmente chegou ao ponto onde todas as matérias não precisam mais se concentrar no quanto ele pesa, e muito mais sobre o que ele está planejando fazer na noite da luta, não é algo pequeno, quando nos últimos anos temos visto o brasileiro cercado por dúvidas sobre seu peso.

"Quando você trabalha com (o guru do condicionamento e dieta) Mike Dolce, você vai estar no peso e você vai vir preparado para lutar no dia seguinte", disse ele. "Eu sabia que não ia ser do dia pra noite, ia demorar algumas lutas para provar a todos que eu estou fazendo isso sério agora e que ninguém vai me parar. Então me sinto ótimo, e o peso nunca mais vai ser um problema de novo."

O que vai ser um problema é o homem de pé em frente a ele hoje à noite no Octógono, o contendor Martin Kampmann. Executando um percurso quase paralelo ao do brasileiro ao longo dos anos, é surpreendente que os dois nunca se encontraram antes, mas este convincente confronto finalmente chegou, e ele não vem como uma surpresa para o "Pitbull".

"Eu  venho observando Kampmann por um tempo. Eu adoro o estilo dele, eu amo o jeito que ele luta, eu acho que é o confronto perfeito para nós dois, e acho que o melhor lutador, e o lutador mais preparado vai ganhar, e este sou eu."

Kampmann pensa da mesma maneira, apenas com o resultado final sendo ele com a mão levantada. No entanto, o que torna essa luta interessante não é o alto nível de confiança de cada homem, mas as diferentes ferramentas que cada um traz para a mesa. Thiago é um striker de muay thai agressivo com poder de nocaute e desejo de manter o domínio. Quanto à Kampmann, "Ele é muito perigoso em todos os lugares", disse Thiago. "Ele é um grande striker, ele tem habilidades de wrestling, e tem habilidades de finalização excelentes também, então ele é muito perigoso, mas eu estou muito bem preparado para onde quer que a luta aconteça. Eu tenho muito respeito por Kampmann, mas assim que fechar aquela jaula a parada vai ser comigo e vou quebrá-lo."

Thiago pode estar contando com a possibilidade de que Kampmann, que vem de duas decisões controversas contra Diego Sanchez e Jake Shields, ficar um pouco agressivo demais na tentativa de terminar a luta e se deixar aberto para um soco, chute, ou joelhada do brasileiro. 

"Sempre que você vem para lutar, você sabe que vai correr riscos, e eu sempre vou lutar e sempre vou continuar avançando, então vou definitivamente me colocar em uma posição para acabar com ele", admite ele. "Mas quando você faz isso, você tem que ter muito cuidado para não se arriscar demais e não dar brecha para ser finalizado. Mas é para isso que nós treinamos e é assim que a luta é, portanto, se ele escorregar, eu vou pegá-lo."

Talvez sem um golpe, mas com uma de suas novas finalizações? Talvez um armlock voador?

"Eu não penso assim", ri Thiago. "Talvez um triângulo voador, mas não um armlock voador."
Sábado, Abril 26
20:30
BRST
Baltimore, MD

Media

Recente
UFC 172 media day at Camden Yards on April 24, 2014 in Baltimore, Maryland. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
24/04/2014
Glover encara Jon Jones no UFC 172 e tenta conquistar o cinturão dos meio-pesados para o Brasil. A batalha promete ser a melhor do UFC em 2014.
24/04/2014
Mesmo fazendo sua estreia no Octógono como meio-médio, o poder de nocaute de Anthony Johnson é evidente.
04/01/2012
Os brasileiros campeões do UFC