Fabricio Werdum: Atrás da glória no peso pesado

"O presidente do UFC Dana White disse que me daria a chance. Todos que lutam no UFC querem lutar pelo cinturão, e tenho certeza que minha hora está chegando." - Fabricio Werdum
UFC heavyweight Fabricio WerdumDepois de um treinamento longo, incontáveis sacrifícios, e a ginástica mental que vem junto com o fato de saber que você está enfrentando um oponente treinando para vencer você - literalmente - não existe sentimento melhor do que vencer no MMA. E se você consegue isto em casa, na frente de vários fãs gritando seu nome, você pode elevar este sentimento à décima potência. Pergunte a Fabrício Werdum.

"Foi incrível, não tenho palavras para descrever como fiquei feliz por aquela luta", disse Werdum sobre sua luta no UFC 147 e a vitória sob Mike Russow em junho, uma vitória que marcou sua primeira no Brasil desde 2004. "As pessoas estavam cantando meu nome e me apoiando o tempo todo. Adoro lutar no Brasil, e espero ver meus fãs cantando 'Vai Cavalo' de novo no dia 8 de junho."
 
Oito de junho, neste sábado, será a segunda luta consecutiva de Werdum em casa, e esta tem ainda mais importância, dado que seu oponente será seu treinador rival da segunda temporada do The Ultimate Fighter Brasil, Minotauro Nogueira, uma lenda do esporte que tem história com Werdum, que o derrotou em 2006 quando os dois competiam no PRIDE.
 
"Quando lutei com Minotauro pela primeira vez, estava somente no começo da minha carreira", disse Werdum, que perdeu por decisão unânime. "Foi uma luta difícil mas acho que fiz um bom trabalho pra alguém que estava lutando contra uma lenda do esporte."

No PRIDE, Werdum era um veterano com somente 10 lutas, que incluíam
Gabriel Napão, Tom Erikson, Sergei Kharitonov, John-Olav Einemo, e Alistair Overeem. Porém, o que era mais notável é que naquela época, Werdum era estritamente um lutador de chão, com sua trocação muito atrás do que ele podia fazer com sua faixa preta de Jiu-jitsu.

Isso porém mudaria, e após sua revanche com Overeem no Strikeforce em 2011 e a vitória sob Roy Nelson e Mike Russow no UFC em 2012, ele provou ter muito mais que um jogo útil de trocação. Este é o tipo de evolução que você espera ver em um lutador, e é o que ele tentou fazer  para ser treinador do TUF Brasil 2.
 
"Foi uma grande experiência, e tivemos a chance de trocar experiência com os outros treinadores e lutadores dentro da casa", disse Werdum. "Eu acho que dei o máximo que pude ao meu time; só esperava que tivéssemos um pouco mais de tempo para realmente ensinarmos a eles mais coisas. Mas tenho certeza que muitos daqueles caras serão astros do UFC no futuro."
 
Admitindo que treinar foi benéfico para ele como foi para o time, Werdum agora pode focar no que pode ser a luta mais importante de sua carreira no UFC contra um lutador que é também vastamente diferente do que era há sete anos.

"Agora ele (Minotauro) tem mais experiência", disse Werdum. " Ele já era um lutador incrível quando lutamos da primeira vez, e com certeza ele tem treinado muito para esta luta e melhorando em todos os aspectos do seu jogo."
 
O respeito é mutuo e óbvio, especialmente do lado de Werdum. Agora não é hora de olhar para o passado com um dos lutadores mais resistentes que já colocou as luvas, especialmente com tanto em jogo. Quanto? Bem, uma vitória de Werdum o colocaria próximo de uma chance ao título.
 
"Eu espero que sim", disse Werdum. "O presidente do UFC Dana White disse que me daria a chance. Todos que lutam no UFC querem lutar pelo cinturão, e tenho certeza que minha hora está chegando.
 
"Eu quero lutar pelo título," ele disse. "Hoje, Velasquez é o campeão. Mas agora meu foco é somente no Minotauro."

Sábado, Abril 26
20:30
BRST
Baltimore, MD

Media

Recente
UFC 172 media day at Camden Yards on April 24, 2014 in Baltimore, Maryland. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
24/04/2014
Glover encara Jon Jones no UFC 172 e tenta conquistar o cinturão dos meio-pesados para o Brasil. A batalha promete ser a melhor do UFC em 2014.
24/04/2014
Mesmo fazendo sua estreia no Octógono como meio-médio, o poder de nocaute de Anthony Johnson é evidente.
04/01/2012
Os brasileiros campeões do UFC