Super Mário - Um passo de cada vez

"Eu acho que vários fãs brasileiros de MMA sabem quem eu sou agora, mas espero adquirir mais exposição no Brasil. No UFC Rio seria ótimo".  - Mario Miranda
Em 2010, o nome de Mário Miranda apareceu em grande escala na mídia de MMA pela primeira vez. Ele estava confirmado para enfrentar Gerald Harris no UFC Fight Night 21 e a imprensa especializada tentou de tudo para obter o máximo de informações sobre ele. O poder do Google ajudou bastante, principalmente com seu cartel, títulos anteriores e em qual academia o até então desconhecido brasileiro estava treinando nos EUA. Mas não foi uma tarefa fácil ir fundo na história do Super Mário de Niterói sem uma conversa cara-a-cara com o atleta.
                 
Mário se mudou para os EUA sem pensar em um futuro brilhante no MMA. Ele ganhou uma medalha de ouro no Sul Americano de wrestling há 11 anos, um feito que não o fez famoso no Brasil ou trouxe qualquer atenção extra. Portanto, antes de sua estréia no UFC, o wrestler e faixa preta de Jiu-Jitsu sonhava em receber algum reconhecimento em sua terra natal.     
          
Mas, nos dias de hoje, nos momentos que antecedem sua quarta luta no UFC, contra o também wrestler Aaron 'A-Train' Simpson no UFN 24 deste fim de semana, Mário desfruta de prestígio um pouco maior em seu país, mesmo ele não morando mais por aqui. Nos últimos meses, era fácil encontrar artigos nos jornais locais e na grande mídia falando sobre o niteroiense e suas lutas na maior organização de MMA do mundo. É algo que ele queria, e ele se diverte com isso atualmente.       
            
"Vendo desenvolvimento (da publicidade) é engraçado, eu acho que sou famoso onde moro agora (Washington), e em outros lugares as pessoas olham para mim, me reconhecem, mas não sabem de onde", disse ele. "Eu acho que vários fãs brasileiros de MMA sabem quem eu sou agora, mas espero adquirir mais exposição no Brasil. No UFC Rio seria ótimo".  
              
Então, o desejo é o mesmo de antes, mas com uma visão diferente. Ele recebeu esse reconhecimento mesmo lutando duas vezes no undercard e apenas uma no card principal, conseguindo um recorde de 1-2 no UFC. E depois de se tornar um rosto familiar ao destruir o ex-desafiante ao cinturão médio da organização, David Loiseau, no UFC 115, Mário viu também dúvidas surgirem quando foi dominado e amargou uma derrota por decisão unânime pelas mãos de outro ex-desafiante até 84 quilos, Demian Maia, no UFC 118 . E mesmo considerando que ele enfrentou Demian sendo chamado em cima da hora, substituindo Alan Belcher, esse é o preço a pagar por nadar com os tubarões, e o que ele pagou foi ver pequenas falhas no seu jogo sendo expostas.  
             
"Eu não quero tirar os méritos do Demian", disse ele. "Mas ser chamado em cima da hora influenciou meu jogo, e não consegui um condicionamento bom com duas semanas de preparação. Ele tem um estilo diferente de puxar pra guarda e é raro de se adaptar com um tempo tão curto. Talvez, se eu tivesse mais semanas, eu poderia lutar menos travado, seguindo a estratégia planejada".  
           
Por outro lado, lutar em um curto espaço de tempo mostrou que ele estava de plantão quando uma lesão de última hora poderia prejudicar um card. E no caso do 'Super' Mario, o resultado foi uma renovação de seu contrato com o UFC após a derrota por decisão unânime.             
"Acredito que o UFC vê o meu potencial, vou sempre para lutar. Eu aceitei a luta em cima da hora e acho que é importante ser considerado fiel à empresa".
             
Se Mario não pôde usar o seu "super poderes" em uma luta onde foi chamado aos "45 do segundo tempo", podemos esperar, pelo menos, um lutador muito melhor para o duelo deste fim de semana contra Simpson. Sabendo da luta desde o final do ano passado, ele pôde se focar 100% no próximo adversário, trabalhando em vários aspectos do MMA e buscando evitar a suposição de que esta será uma luta envolvendo o wrestling da América do Norte e o da América do Sul.
           
"Pude aproveitar meu tempo livre e depois voltar a treinar, então comecei a minha preparação bem cedo", Super Mário disse. "Wrestling foi uma parte da minha preparação, mas não exatamente o foco. Eu quero ganhar a luta de forma convincente, trocando socos, fazendo chão ou com ground and pound. Sei que ele é um excelente wrestler, com a mão pesada, mas eu acho que sou melhor tecnicamente e o condicionamento físico pode ser o fator X para este combate".
         
Tendo treinado com o rei do peso médio, Anderson 'The Spider' Silva antes de sua última luta, Mário não conseguiu repetir o sparring de alto nível com o colega brasileiro. Mas isso não ocorreu porque Anderson não trouxe sorte ao ser o segundo de 'Super' Mário diante de Demian, mas devido ao local dos treinos e as especialidades de Simpson. 
        
"Anderson se preparou para o UFC 126 no Rio de Janeiro e o Simpson tem um estilo muito diferente da maioria dos caras que treinam na Black House, em Los Angeles", disse Mário, que pretende espantar o cartel negativo para longe no UFN 24. "Nós dois precisamos desta vitória, a minha determinação será grande e nós temos tudo para fazer uma excelente luta".      

Quarta-feira, Abril 16
16:15
BRT
Quebec City, Canada

Media

Recente
Watch the post-fight press conference live following the event.
14/04/2014
Watch the official weigh-in for FOX UFC Saturday: Werdum vs. Browne, live Friday, April 18th at 4pm/1pm ETPT.
14/04/2014
Watch the UFC Fight Club Q&A with former UFC lightweight champion Frankie Edgar, live Friday, April 18th at 2pm/11am ETPT.
14/04/2014
Watch the pre-fight press conference for FOX UFC Saturday: Werdum vs. Browne, live Thursday, April 17th at 1pm/10am ETPT.
14/04/2014