UFC Londres: Em luta acirrada, Barão finaliza

Campeão fois e encontrando durante o combate antes da finalização derradeira
LONDRES, Inglaterra - Um katagatame que parecia despretensioso do campeão Renan Barão, não por estar ajustado erroneamente, mas pela atitude do desafiante Michael McDonald que deu sinal de okay duas vezes para o árbitro, o cinturão interino peso galo do UFC continua no Brasil. Mas não foi uma tarefa das mais, tanto que a luta foi para o quarto assalto após muita trocação, um Jiu-jitsu defensivo e surpreendente do desafiante, e algumas direitas que balançaram Barão no round inicial.

McDonald possui mãos afiadas, e ele conseguiu rechaçar o campeão em algumas oportunidades, numa delas Barão foi forçado a buscar o clinch para tentar derrubar. No solo, mesmo chegando a ficar na posição de guarda passada, o campeão não teve vida fácil, pois McDonald repunha e travava bem as ações para voltar em pé.

Alguns chutes (rodado e frontal) acertaram o rosto de McDonald, mas se não tiveram aquela potencia para nocautear, foram suficientes para abrir um corte no nariz do desafiante. Conforme os rounds iam passando, mesmo com um ferimento no olho Barão foi tomando as rédeas com bastante cautela, ate que no penúltimo round ele conseguiu clinchar, quedando McDonald em seguida e buscando pegar as costas. Sem sucesso Barão insistiu em manter McDonald por baixo e foi bem sucedido ao controlar braço e cabeça do desafiante e com a guarda passada forçar o katagatame. McDonald parecia estar tranquilo, avisando o árbitro com um dedo polegar para cima, mas só parecia, aos 3:57 ele desistiu, e Renan Barão e sua equipe fizeram um carnaval atrasdo no Octógono do UFC em Londres.

 “Dominick Cruz, estou esperando por você.” Eu quero você.!” Avisou o campeão na entrevista pós-luta.

Swanson e Poirier protagonizam grande co-luta principal
Lowkicks e cruzados para todos os lados foram vistos na co-luta principal da noite entre Cub Swanson e Dustin Poirier. Swanson começou a encontrar seu caminho com um upper que balançou Poirier a luta se manteve frenética, com Swanson usando potência ao desferir seus golpes e Poirier buscando as aberturas. Um bom chute nas costelas foi lançado por Poirer, que acabou não conseguindo capitalizar o momento devido a recuperação ligeira de seu adversário. No solo, cada um teve seu momento de vantagem, com montadas e tentativas de reversão e finalização. No fim de 15 minutos eletrizantes, Swanson levou por decisão unânime (29-28, 30-27 e 30-27)

Manuwa leva a melhor sobre Diabaté em confronto de strikers
Não se importando com a maior envergadura do francês Cyrille Diabaté, Jimi Manuwa, atleta nascido na Nigéria, mas radicado na Inglaterra, começou mandando dois bons low kicks na parte interna da coxa direita de Diabaté. Manuwa levou para baixo algumas vezes durante o combate, e a única boa chance que Diabaté teve foram as joelhadas na linha de cintura, uma delas muito precisa que forçou Manuwa a levar para baixo. No intervalo entre o round inicial e o segundo, o francês sentiu uma contusão logo abaixo da panturrilha esquerda e não pôde continuar. Vitória de Manuwa por TKO (interrupção médica).

Jorge Santiago é superado por islandês
Jorge Santiago continuou sua sina no UFC, em sexta luta pela organização (terceira passagem), o brasileiro enfrentou o faixa preta de Renzo Gracie, Gunnar Nelson da Islândia. Com dificuldades para lidar com o posicionamento pouco ortodoxo do adversário, Jorge sofreu com as investidas de Gunnar que, uma vez levando a luta para o solo, mostrou que é um expert no Jiu-jitsu, chegando a montar. Com uma guarda baixa, porém confiante, e uma mudança constante de base, Nelson foi pontuando diante do brasileiro, que bastante desgastado só conseguiu um bom momento a poucos segundos do fim, ao desferir overhands que poderiam ter derrubado o islandês. No fim, Gunnar levou por decisão unânime fazendo 2-0 em duas apresentações no UFC e mantendo seu cartel intocável já Jorge amargou a quinta derrota no UFC em seis lutas.

Te Huna faz entrada épica e vence luta épica

O neozelandês James Te Huna vai ter muita história para contar após sua épica luta contra nocauteador Ryan Jimmo. Te Huna começou impressionando mesmo antes de Bruce Buffer anunciar seu nome, fazendo uma bem ensaiada performance de Men In Black com seus corners durante a caminhada até o Octógono, ele levantou o público na Wembley Arena. Logo após isso, durante a luta os fãs ficaram de novo em pé, mas nesse instante Te Huna sofria um chute na cabeça que o levou ao solo e Jimmo partiu para dentro com mais socos para tentar acabar com o combate. O atleta da Nova Zelândia partiu um dobrado e segurou o ímpeto de Jimmo até o round número #2. A partir daí, já recuperado Te Huna executou uma estratégia melhor ao absorver os ataques e levar Jimmo para baixo, onde ele devolveu todo o castigo que sofreu no assalto anterior, enquanto buscava um crucifixo para golpeá-lo mais. Jimmo tentou apenas se proteger até o fim. No último round, após clinch e pouca ação devido ao cansaço, a luta foi para o solo novamente com Te Huna por cima soltando cotoveladas curtas e marteladas. Jimmo, já esgotado, não esboçava reação para mudar o cenário e no fim dos 15 minutos, Te Huna foi agraciado com a decisão unânime (29-27, 29-28, 29-28) em uma luta que mostrou muita raça.

Che Mills e Matt Riddle abriram o card principal onde ficou nítida a deficiência do britânico no wrestling. Riddle, que fez todas as suas 11 lutas no UFC, chegou com uma estratégia muito definida de levar Mills para baixo. A tática funcionou nos dois primeiros assaltos, porém no terceiro o senso de estar atrás no placar da luta fez com que Mills defendesse um pouco melhor as quedas de seu oponente. Riddle continuou insistindo nos clinches, singles e doubes legs, até ensaiou trocar francamente com Mills, e apesar de alguma dificuldade nos cinco minutos finais, levou a luta por decisão dividida.

Renée quebra a banca com vitória convincente.
Na última preliminar do UFC Londres, Reneé Forte, azarão entre os especialistas, venceu a primeira no UFC ao bater com muita propriedade o ídolo local Terry Etim, que em todas às vezes (quatro) que enfrentou lutadores brasileiros, foi derrotado. No começo, apesar de mais de um ano afastado do Octógono, Etim mostrava confiança e mantinha a distância usando bem sua maior envergadura com chutes e socos. Renée tinha aberto os trabalhos com um super man punch que Etim desviou e sorriu, e manteve-se assim, sorrindo a cada ataque do brasileiro por pelo menos três oportunidades no round inicial. Apesar da responsabilidade de estar caçando a primeira vitória no UFC, Reneé permaneceu firme para encurtar a distância e em um assalto equilibrado onde aparentemente levou por buscar a luta. No round seguinte o melhor momento do brasileiro, que encontrou a distância perfeita para balançar Etim, e gancho após gancho aplicar um knockdown. Etim sofreu mais alguns golpes no solo, e o brasileiro abriu espaço para montar no fim dos cinco minutos. O round três teve um brasileiro compenetrado, e um inglês sem forças para reverter a situação. Reneé seguiu encurtando, clinchando e levando para baixo, onde permaneceu desferindo algumas marretadas curtas, selando sua vitória por decisão unânime com um duplo 29-28 e um 30-27.

Outros resultados
Phil Harris bateu Ulysses Gomez por decisão unânime
Andy Ogle bateu Josh Grispi por decisão
Vaghan Lee bateu Motonobu Tezuka por decisão unânime
Tom 'Kong' Watson bateu Stanislav Nedkov por TKO, R2 aos 4:42
DannY Castillo bateu Paul Sass por decisão

Sábado, Abril 26
20:30
BRST
Baltimore, MD

Media

Recente
Mesmo fazendo sua estreia no Octógono como meio-médio, o poder de nocaute de Anthony Johnson é evidente.
04/01/2012
Os brasileiros campeões do UFC
O UFC 172 vem para agitar a divisão dos meio-pesados ​​como atual campeão Jon Jones defendendo seu cinturão pela sétima vez e Anthony Johnson retornando ao octógono. Assista toda a ação, sábado, 26 de abril exclusivo no canal Combate.
21/04/2014
UFC 172 Jones x Glover: a luta do ano!